Quer saber mais? Mande um E-MAIL AQUI

Ginecomastia

Idiopática

Alguns estudos trazem que aproximadamente 50% ou mais dos pacientes adultos com ginecomastia não têm uma causa óbvia para o problema. Especula-se que possa ter havido no passado uma exposição sutil ao excesso de estrógenos ou que possa haver alguma alteração endocrinológica suficiente para causar o problema mas não detectável em exames de rotina.
Podem estar associados a favores ambientais, principalmente a alimentação, como por exemplo, consumo de alimentos que tenham sido aquecidos em recipientes feitos com Bisfenol A.

Síndromes de insensibilidade androgênica

Existem alterações genéticas raras que fazem que o indivíduo nasça sem receptores para a testosterona. Com isso, todos os efeitos da testosterona estão ausentes, dentre eles a virilização da genitália externa. Esses pacientes, pela ausência da ação da testosterona (apesar de ser produzida adequadamente e às vezes até em excesso), podem ter ginecomastia.
Exemplo: - Síndrome da feminização testicular

Defeitos na síntese de testosterona

Alguns indivíduos nascem com alterações em algumas enzimas no organismo que são essenciais para a produção adequada de testosterona. Com isso, além da ginecomastia que frequentemente está presente, desde antes do nascimento a genitália externa não se diferencia adequadamente na forma masculina. O mesmo ocorre nos casos de “anorquia congênita” que significa o nascimento de bebês do sexo masculino mas que não têm testículos. A ginecomastia está presente em 50% desses indivíduos.

Páginas

Subscrever RSS - Ginecomastia