Quer saber mais? Mande um E-MAIL AQUI

Anabolizantes

O uso de hormônios em academias está cada vez mais frequente.

O uso de esteroides anabolizantes há muito tempo deixou de ser empregado somente por atletas de alto rendimento com objetivo de melhorar a performance competitiva (dopping). Infelizmente, nos dias de hoje o dopping não é uma exclusividade dos “atletas de elite”; em busca de “corpos perfeitos”, com mínima porcentagem de gordura e cada vez mais musculosos, muitas pessoas têm lançado mão do uso desses esteroides anabolizantes. O uso ilícito dessas substâncias vêm se propagando desde em jovens, almejando corpos mais fortes, até em idosos em busca de retardar o envelhecimento (juntamente com uso de outras terapias “anti-aging”).

Uma estimativa americana avaliou que aproximadamente 6,4% dos homens e 1,6% das mulheres farão uso de esteróides anabolizantes em algum momento da vida.

O uso abusivo dos esteróides anabolizantes levam a níveis supra fisiológicos de testosterona. Isso bloqueia a secreção hipofisária pulsátil de LH e FSH - hormônios responsáveis por estimular os testículos a produzirem espermatozóides e testosterona. Ou seja, muita testosterona vinda “de fora” faz com o que o corpo bloqueie sua própria produção na tentativa de manter o equilíbrio. Pode ocorrer redução do volume dos testículos e produção de espermatozóides, e consequente infertilidade, juntamente com a baixa da testosterona. Após a cessação do uso desses anabolizantes o corpo demora a “retormar” sua produção normal. Isso leva a um estado de baixa testosterona no organismo denominando hipogonadismo, que leva a uma desproporção entre os níveis de estrogênio e testosterona no corpo prevalecendo o de estrogênio que irá estimular o tecido mamário levando a ginecomastia.

Além disso, o uso dos esteróides anabolizantes pelo grande excesso de testosterona que provocam estimulam no organismo uma grande conversão de testosterona em estrogênio pela aromatase, novamente na tentativa de manter o “equilíbrio”. Com o excesso de estrogênio haverá mais um fator para o desenvolvimento de ginecomastia nos pacientes que abusam dos anabolizantes.

O tempo sem uso dos anabolizantes para reverter esse quadro de hipogonadismo e infertilidade transitória depende de vários fatores como o tempo de uso e a dose utilizada. A ginecomastia também depende desse fatores e muitas vezes é irreversível com a interrupção do uso, sendo necessários outros tratamento.

Bibliografia Recomendada:

1) Nieschlag E, Vorona E. Mechanisms in endocrinology: medical consequences of doping with anabolic androgenic steroids: effects on reproductive functions. Eur J Endocrinol. Aug, 2015; 173(2): R47-58.
2) Sagoe D, Molde H, Andreassen CS, Torsheim T, Pallesen S. The global epidemiology of anabolic-androgenic steroid use: a meta-analysis and meta-regression analysis. Annals of Epidemiology 2014; 24 383-398.

Contribuído por:
Dra Lorena Guimarães Lima - CRM/SP 141.594 - ENDOCRINOLOGIA E METABOLOGIA - RQE nº 50079