Quer saber mais? Mande um E-MAIL AQUI

Avaliação pré-operatória

É importante estar com saúde em dia quando for fazer algum procedimento cirúrgico.

O que é a avaliação pré-operatória?
É a avaliação clínica feita antes da cirurgia, para investigar a presença de alguma doença assintomática.

Porque devo fazer avaliação pré-operatória?
Para diminuir o risco cirúrgico.
O avanço tecnológico vem diminuindo consideravelmente o risco cirúrgico, entretanto a intervenção operatória provoca um estresse físico que deve ser levado em consideração, porque algumas doenças sem manifestação clínica, podem aparecer nesse momento e há muito que pode ser feito para tornar o procedimento mais tranquilo e bem sucedido.

Qual o objetivo dessa avaliação?
O objetivo da avaliação cardiológica vai além de quantificar o risco perioperatório e não deve ser limitado ao sistema cardiovascular, cabe ao médico compensar clinicamente o paciente para que ele possa submeter-se a cirurgia proposta.

Quais as doenças mais importantes para serem controladas antes de uma cirurgia?
Doenças cardíacas, endocrinológicas, insuficiência renal, doenças do sangue, obesidade, doenças pulmonares e tabagismo

Quais os exames complementares que devem ser feitos de rotina antes de uma cirurgia?
A indicação de exames pré-operatórios deve ser individualizada conforme as doenças e comorbidades apresentadas pelos pacientes, assim como o tipo e o porte da cirurgia proposta.Os achados anormais encontrados em exames de rotina são relativamente frequentes, mas, dificilmente, estes resultados levam a modificações da conduta cirúrgica ou à própria suspensão da operação. Além disso, as alterações de exames pré-operatórios não são preditores de complicações perioperatórias.

Quem tem hipertensão arterial pode submeter-se a cirurgia plástica?
Sim, pode, só precisa estar com a pressão controlada.
A hipertensão arterial sistêmica é a condição médica mais comum para o adiamento de uma operação. Está bem estabelecido que, durante um procedimento cirúrgico, importantes alterações hemodinâmicas podem ocorrer, sendo mais pronunciadas nos pacientes com hipertensão arterial. Entretanto o atual conhecimento da fisiopatologia da hipertensão, a evolução no tratamento anti-hipertensivo e o desenvolvimento de novos anestésicos e relaxantes musculares com efeitos hemodinâmicos mínimos, além do melhor controle da dor no período pós-operatório, tem contribuído para minimizar as complicações relacionadas com o perioperatório do paciente hipertenso.

Quem tem diabetes pode submeter-se a cirurgia plástica?
Sim, pode só precisa estar com a glicemia e hemoglobina glicada controladas.
O diabetes mellitus é uma doença do metabolismo que precisa estar bem controlado para garantir o sucesso cirúrgico com uma boa cicatrização e sem risco de infecção.

Quais as informações que devo dar ao meu médico?
É importante relatar:
para mulheres: se há possibilidade de estar grávida,
se já apresentou alguma complicação em cirurgias anteriores,
se tem alergia a algum medicamento,
relacionar todos os medicamento que usa diariamente, inclusive vitaminas e fitoterápicos; particular atenção ao uso de anti inflamatórios
se teve febre ultimamente
se tem muita ansiedade

Preciso fazer dieta nas vésperas?
Não coma ou beba coisa alguma pelo menos seis horas antes da cirurgia. Não mastigue chicletes ou gomas de mascar antes da cirurgia, pois isto provoca aumento de suco gástrico e ar no estômago, possibilitando também maior incidência de náuseas e vômitos no pós-operatório.
Não deixe de tomar os medicamentos de que faz uso regularmente, a não ser por orientação expressa do seu médico

Durante a cirurgia como devo me arrumar?
Não vá para a sala de cirurgia usando cosméticos ou produtos de beleza, bem como, jóias pessoais, relógios, pulseiras, brincos, grampos de cabelo, cílios postiços ou quaisquer outros objetos desnecessários.

Demora muito para voltar da anestesia?
A anestesia dura o tempo necessário para que se possa realizar a cirurgia com tranqüilidade, oferecendo, ainda, analgesia no pós-operatório imediato.A recuperação depende, principalmente, de cada indivíduo em particular, além do tipo de cirurgia, do tipo de anestesia, das condições físicas, de medicamentos que se está tomando,
enfim, de múltiplos fatores. Com as técnicas modernas de anestesia, atualmente poucos pacientes chegam a sentir-se realmente mal. Freqüentemente sente-se um pouco de frio, porque se perde temperatura no transcurso da cirurgia; este faz surgir um tremor, que é a defesa normal do organismo frente ao frio. Ocasionalmente podem ocorrer náuseas, que são facilmente controláveis com medicação específica.